UM OLHAR PSICOSSOMÁTICO NA ENDOMETRIOSE

“Ao mais antigo oráculo da Grécia, consagrado à Grande Mãe da terra, do mar e do céu, deram-lhe o nome de Delfos [delphos], com o significado de útero” – Barbara Walker

Segundo a Dra Christiane Northrup, médica ginecologista e fundadora do centro de saúde Woman to Woman em Yarmouth, herdámos uma crença cultural sobre o Útero que nos adoece.
O útero não tem sido estudado além do seu papel na gravidez, sendo valorizado apenas enquanto pode desempenhar potencialmente esse papel. Contudo, está provado que o útero desempenha um papel na regulação hormonal e a sua remoção não é aconselhável, a menos que absolutamente necessária.

Tendo em conta que os nossos pensamentos afetam os nossos corpos, as mensagens negativas sobre o útero, que interiorizamos por uma vida inteira, estão associadas a um grande número dos problemas que as mulheres experimentam relativamente a esse assunto. 
A nossa cultura ensinou-nos que não podemos estar em simultâneo emocionalmente felizes e ser bem sucedidas financeiramente, que enquanto mulheres não podemos ter tudo. Foi-nos transmitido que para termos segurança é necessário casar e aos homens foi-lhes ensinado que devem suportar a vida financeira familiar. Culturalmente foi-nos transmitida a crença, de que a mulher é válida na sua qualidade de mãe ou companheira de alguém, sem valor inerente a si mesma.

Christiane Northrup afirma que a saúde ovárica está diretamente relacionada com as relações da mulher com as pessoas e coisas externas a si. Os ovários estão em risco quando as mulheres se sentem controladas ou criticadas pelos outros. A saúde do útero está em risco se a mulher não confiar em si própria e se for excessivamente autocritica.

Uma visão bastante justificada por uma médica que estudou a vida inteira a saúde da Mulher, e que, só nos vem reforçar a necessidade de cuidarmos da nossa autoestima e do nosso ser.

A Endometriose é um tema trabalhado de forma multidisciplinar na Clinica da AutoEstima. Apostamos num tratamento complementar ao ginecológico, suportado por Psicoterapia, Nutrição, Yôga e Meditação, porque as mulheres com endometriose sintomática reagem melhor com um programa de tratamento abrangente que apoie na sua globalidade os seus sistemas imunológicos, ao mesmo tempo que se disponibilizam para descobrir o que precisam mudar nas suas vidas.

Para mais informações deboraaguadoce@clinicadaautoestima.pt

Com amor,
Débora ♡